foto user
Maria Vitorino
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Gentes e Locais/Beleza e magia (ler sff)
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Gentes e Locais/Beleza e magia (ler sff)
voltar lista nav-leftnav-right

Beleza e magia (ler sff)

fotografias > 

Gentes e Locais

2017-06-12 22:07:18
Ver no mapa
comentários (114) galardões descrição exif favorita de (142)
descrição
Fonte dos Olhos

Um lugar mágico onde várias gerações bricaram e se refrescaram do calor abrasador do Alentejo.

Esta fonte situa-se no Concelho Grândola, Freguesia de Melides, no Lugar Fonte dos Olhos em Melides, junto ao Parque de Merendas. Pertence à Bacia Hidrográfica de ribeiras de costa e à Zona Geológica do Maciço Hespérico – Zona Sul de Portugal. O seu fundo geológico (factor geo.) é composto por rochas metamórficas (xisto e grauvaques). A dureza das águas subterrâneas varia de 0 a 100 mg/l de CaCO3. Está classificada como água digestiva. Destina-se ao uso popular e de abastecimento público,

Historial
“Tem uma laje enorme, até havia uma lenda que contava que se levantassem essa pedra a água que saía inundava toda a aldeia. A água que sai da fonte forma uma ribeira, que se vai unir a outra ribeira que vem da serra, formando um único caudal que segue pela várzea e que vai ter ao leito da lagoa de Melides.” (Dr. Idálio Nunes do Departamento Cultural da Câmara de Grândola)
A probabilidade de Melides ficar inundada pelo manancial é pouco provável, pois a nascente encontra-se na parte mais baixa da aldeia. Mas o que a lenda denota é a quantidade de água que brota desta nascente, mesmo em anos de seca, como foi o ano de 2005 em que visitámos a nascente: o caudal era farto e constante, além de fornecer água a uma freguesia de 1942 habitantes e que na época de veraneio triplica de população.
Este enorme manancial de água punha a funcionar cinco moinhos, correndo depois para a várzea, onde se junta à nascente do Cabo de Água, irrigando hortas e arrozais. Esta última cultura foi introduzida na região a partir de 1830, e épocas houve em que a divisão de águas entre os moleiros e arrozeiros não foi pacífica. Atualmente, estes cursos de água, depois de irrigarem os arrozais, alimentam a lagoa de Melides, separada do mar pelas dunas da praia.

Instalações/ património construído e ambiental
A captação da Fonte dos Olhos foi construída no final da década de 1960, para abastecimento à freguesia de Melides. Enquadrado num parque de merendas, e num pequeno espelho de água, para onde brota o excesso de água não utilizado na captação. Este sobejo de água tem ainda um apreciável caudal, que serve aos arrozais, terminando na lagoa de Melides.

http://www.aguas.ics.ul.pt/setubal_folhos.html
exif / informação técnica
Máquina: samsung
Modelo: SM-G935F
Exposição: 1/750 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/1.7
ISO: 40
Dist.Focal: 4.2mm
Dist.Focal (35mm): 26 mm
Software: Adobe Photoshop Lightroom 5.3 (Windows)

favorita de 142
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
Beleza e magia (ler sff)
Fonte dos Olhos

Um lugar mágico onde várias gerações bricaram e se refrescaram do calor abrasador do Alentejo.

Esta fonte situa-se no Concelho Grândola, Freguesia de Melides, no Lugar Fonte dos Olhos em Melides, junto ao Parque de Merendas. Pertence à Bacia Hidrográfica de ribeiras de costa e à Zona Geológica do Maciço Hespérico – Zona Sul de Portugal. O seu fundo geológico (factor geo.) é composto por rochas metamórficas (xisto e grauvaques). A dureza das águas subterrâneas varia de 0 a 100 mg/l de CaCO3. Está classificada como água digestiva. Destina-se ao uso popular e de abastecimento público,

Historial
“Tem uma laje enorme, até havia uma lenda que contava que se levantassem essa pedra a água que saía inundava toda a aldeia. A água que sai da fonte forma uma ribeira, que se vai unir a outra ribeira que vem da serra, formando um único caudal que segue pela várzea e que vai ter ao leito da lagoa de Melides.” (Dr. Idálio Nunes do Departamento Cultural da Câmara de Grândola)
A probabilidade de Melides ficar inundada pelo manancial é pouco provável, pois a nascente encontra-se na parte mais baixa da aldeia. Mas o que a lenda denota é a quantidade de água que brota desta nascente, mesmo em anos de seca, como foi o ano de 2005 em que visitámos a nascente: o caudal era farto e constante, além de fornecer água a uma freguesia de 1942 habitantes e que na época de veraneio triplica de população.
Este enorme manancial de água punha a funcionar cinco moinhos, correndo depois para a várzea, onde se junta à nascente do Cabo de Água, irrigando hortas e arrozais. Esta última cultura foi introduzida na região a partir de 1830, e épocas houve em que a divisão de águas entre os moleiros e arrozeiros não foi pacífica. Atualmente, estes cursos de água, depois de irrigarem os arrozais, alimentam a lagoa de Melides, separada do mar pelas dunas da praia.

Instalações/ património construído e ambiental
A captação da Fonte dos Olhos foi construída no final da década de 1960, para abastecimento à freguesia de Melides. Enquadrado num parque de merendas, e num pequeno espelho de água, para onde brota o excesso de água não utilizado na captação. Este sobejo de água tem ainda um apreciável caudal, que serve aos arrozais, terminando na lagoa de Melides.

http://www.aguas.ics.ul.pt/setubal_folhos.html
Tag’s: GL-Fonte dos Olhos,Melides,beleza,magia,Litoral,Alentejano
comentários
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular

Máquina: samsung
Modelo: SM-G935F
Exposição: 1/750 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/1.7
ISO: 40
Dist.Focal: 4.2mm
Dist.Focal (35mm): 26 mm
Software: Adobe Photoshop Lightroom 5.3 (Windows)


favorita de (142)