foto user
António Cacilhas
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
História/Chafariz das Portas de Moura - Évora
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
História/Chafariz das Portas de Moura - Évora
voltar lista nav-leftnav-right

Chafariz das Portas de Moura - Évora

fotografias > 

História

2018-05-11 18:13:08
Ver no mapa
comentários (65) galardões descrição exif favorita de (79)
descrição
chamada de fonte por uns e de chafariz por outros, é, sem dúvida, um monumento de arquitectura civil renascentista bastante gracioso, devido às características artísticas e peculiares que apresenta.

A sua inauguração deu-se em finais de 1556, tendo sido construída graças à existência do magnífico Aqueduto da Água da Prata que permitiu a condução da água até à zona da cidade denominada por Porta de Moura.

A concepção e o projecto da obra foram da responsabilidade do arquitecto Diogo de Torralva, conservador do Aqueduto e mestre das obras da Comarca.

A edificação da fonte deve-se ao Cardeal-Arcebispo D. Henrique, regente na menoridade de D. Sebastião, tendo contribuído para a obra, – inclusive na realização dos respectivos canos, – os moradores vizinhos, o município com 8.000 reis e D. Jaime, o Duque de Bragança, por ter o seu Paço situado nas proximidades da zona. A casa do ducado de Bragança recebia inclusivamente os sobejos da água da fonte, através de canalização subterrânea. Vários eram os moradores que recebiam os sobejos da fonte, a que tinham direito, consoante as épocas de estiagem.
exif / informação técnica
Sem informações de EXIF
favorita de 79
galardões
  • galardão popular
    foto
    popular
Chafariz das Portas de Moura - Évora
chamada de fonte por uns e de chafariz por outros, é, sem dúvida, um monumento de arquitectura civil renascentista bastante gracioso, devido às características artísticas e peculiares que apresenta.

A sua inauguração deu-se em finais de 1556, tendo sido construída graças à existência do magnífico Aqueduto da Água da Prata que permitiu a condução da água até à zona da cidade denominada por Porta de Moura.

A concepção e o projecto da obra foram da responsabilidade do arquitecto Diogo de Torralva, conservador do Aqueduto e mestre das obras da Comarca.

A edificação da fonte deve-se ao Cardeal-Arcebispo D. Henrique, regente na menoridade de D. Sebastião, tendo contribuído para a obra, – inclusive na realização dos respectivos canos, – os moradores vizinhos, o município com 8.000 reis e D. Jaime, o Duque de Bragança, por ter o seu Paço situado nas proximidades da zona. A casa do ducado de Bragança recebia inclusivamente os sobejos da água da fonte, através de canalização subterrânea. Vários eram os moradores que recebiam os sobejos da fonte, a que tinham direito, consoante as épocas de estiagem.
comentários
galardões
  • galardão popular
    foto
    popular

Sem informações de EXIF

favorita de (79)