foto user

HIPERICÃO

Maria Dias
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
carregar
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
HIPERICÃO
voltar lista nav-leftnav-right

HIPERICÃO

fotografias > 

Macro

2008-05-14 20:47:56
comentários (40) galardões descrição exif favorita de (18)
descrição
O Hipericão (Hypericum perforatum) ou Erva de São João é uma planta herbácea perene, pertencente à família das Hypericacaea guttiferae e largamente distribuída na Europa, Ásia, norte da África e aclimatada nos Estados Unidos.

Pequena planta de porte erecto atinge cerca de 1 metro de altura. As folhas são opostas, sésseis, dotadas de glândulas translúcidas, que podem ser observadas colocando-se a folha contra a luz. As flores são numerosas, persistentes, de coloração amarela e possuem pequenos pontos pretos ao longo das margens das flores que contêm elevadas concentra- ções do pigmento vermelho hipericina.

Considerado capaz de afastar maus espíritos, foi utilizado no tratamento de inúmeras doenças mentais. Actualmente a planta não é muito usada para estes fins, mas sim, largamente testada na actividade antidepressiva contra estados depressivos suaves a moderados, ansiedade, insónia, dores nevrálgicas e, ainda, actividades antiviral, antibacte- riana e fotossensibilizadora. É um calmante natural - uma chávena de chá de hipericão à noite contribui para uma boa noite de sono (eu já o comprovei...)



Um final de semana com muita calma!!!
exif / informação técnica
Maquina: SONY
Modelo: DSC-H9
Exposição: 10/2500
Abertura: 40/10
ISO: 100
MeteringMode: 5
Flash: 16
Dist.Focal: 52/10

UM POUCO DE HISTÓRIA:
O seu nome vem do grego e significa, segundo a versão mais aceite, - "aquilo que está acima do imaginado". Sempre fez parte dos ritos de passagem do solstício de verão nas culturas celta, romana e grega. Na mitologia nórdica, pertencia a Balder, o deus radiante da luz e o mais bonito de todos. Para banir as suas origens pagãs, a Igreja rebaptizou-a, na Idade Média, como o nome de Erva de São João. Apesar disso, continuou a ser utilizada, durante muito tempo, para afastar os espíritos negativos. Era pendurada nas portas das casas como protecção contra demónios e bruxas, ou carregada junto ao corpo com verbena. Porém, para aumentar as suas virtudes - medicinais e mágicas -, tinha de ser colhida na noite de São João e passar pela fogueira.
Os gregos usavam a Erva de São João pelas suas propriedades diuréticas, analgésicas e cicatrizantes. Assim, durante séculos, o hipericão foi muito utilizado, inicialmente pela sua capacidade de cicatrizar feridas, úlceras de pele e queimaduras.
favorita de 18
galardões
  • galardão visitas
    100
    visitas
HIPERICÃO
O Hipericão (Hypericum perforatum) ou Erva de São João é uma planta herbácea perene, pertencente à família das Hypericacaea guttiferae e largamente distribuída na Europa, Ásia, norte da África e aclimatada nos Estados Unidos.

Pequena planta de porte erecto atinge cerca de 1 metro de altura. As folhas são opostas, sésseis, dotadas de glândulas translúcidas, que podem ser observadas colocando-se a folha contra a luz. As flores são numerosas, persistentes, de coloração amarela e possuem pequenos pontos pretos ao longo das margens das flores que contêm elevadas concentra- ções do pigmento vermelho hipericina.

Considerado capaz de afastar maus espíritos, foi utilizado no tratamento de inúmeras doenças mentais. Actualmente a planta não é muito usada para estes fins, mas sim, largamente testada na actividade antidepressiva contra estados depressivos suaves a moderados, ansiedade, insónia, dores nevrálgicas e, ainda, actividades antiviral, antibacte- riana e fotossensibilizadora. É um calmante natural - uma chávena de chá de hipericão à noite contribui para uma boa noite de sono (eu já o comprovei...)



Um final de semana com muita calma!!!
comentários
galardões
  • galardão visitas
    100
    visitas

Maquina: SONY
Modelo: DSC-H9
Exposição: 10/2500
Abertura: 40/10
ISO: 100
MeteringMode: 5
Flash: 16
Dist.Focal: 52/10

UM POUCO DE HISTÓRIA:
O seu nome vem do grego e significa, segundo a versão mais aceite, - "aquilo que está acima do imaginado". Sempre fez parte dos ritos de passagem do solstício de verão nas culturas celta, romana e grega. Na mitologia nórdica, pertencia a Balder, o deus radiante da luz e o mais bonito de todos. Para banir as suas origens pagãs, a Igreja rebaptizou-a, na Idade Média, como o nome de Erva de São João. Apesar disso, continuou a ser utilizada, durante muito tempo, para afastar os espíritos negativos. Era pendurada nas portas das casas como protecção contra demónios e bruxas, ou carregada junto ao corpo com verbena. Porém, para aumentar as suas virtudes - medicinais e mágicas -, tinha de ser colhida na noite de São João e passar pela fogueira.
Os gregos usavam a Erva de São João pelas suas propriedades diuréticas, analgésicas e cicatrizantes. Assim, durante séculos, o hipericão foi muito utilizado, inicialmente pela sua capacidade de cicatrizar feridas, úlceras de pele e queimaduras.

favorita de (18)