foto user
Mário Montenegro
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
História/Mãe d’Água
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
História/Mãe d’Água
voltar lista nav-leftnav-right
descrição
A entrada em Lisboa do Aqueduto das Águas Livres, marcada pelo arco da Rua das Amoreiras, realizado pelo arquitecto húngaro Carlos Mardel, entre 1746 e 1748, fechou-se no Reservatório da Mãe d’Água.
O reservatório da Mãe d’Água apresenta-se como um espaço amplo, luzente e unificado, sugerindo o seu interior a planta de uma igreja estilo Salão, propondo a sacralidade do espaço.
exif / informação técnica
Máquina: Canon
Modelo: Canon EOS 5D Mark III
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): -0.7 step
Abertura: f/1.8
ISO: 160
Dist.Focal: 20mm
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop Lightroom 6.8 (Macintosh)

favorita de 131
galardões
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
Mãe d’Água
A entrada em Lisboa do Aqueduto das Águas Livres, marcada pelo arco da Rua das Amoreiras, realizado pelo arquitecto húngaro Carlos Mardel, entre 1746 e 1748, fechou-se no Reservatório da Mãe d’Água.
O reservatório da Mãe d’Água apresenta-se como um espaço amplo, luzente e unificado, sugerindo o seu interior a planta de uma igreja estilo Salão, propondo a sacralidade do espaço.
Tag’s: mãe,água,aqueduto,lisboa
comentários
galardões
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular

Máquina: Canon
Modelo: Canon EOS 5D Mark III
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): -0.7 step
Abertura: f/1.8
ISO: 160
Dist.Focal: 20mm
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop Lightroom 6.8 (Macintosh)


favorita de (131)