foto user
José Ramos
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Natural/Metamorfose
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Natural/Metamorfose
voltar lista nav-leftnav-right
descrição
"Metamorfose" | Canyon de Sigoldugljufur, Terras-Altas - Islândia (2017)

A sensação em evolução de ser parte do mais remoto dos lugares, com o som de múltiplas quedas de água a envolver os sentidos e a enviar a consciência para o abismo da escuridão. Um lugar que há apenas duas horas era exemplo máximo da serenidade, está agora preenchido de mistério e sombras, e mesmo assim torna-se em algo ainda mais cativante.

O frio era intenso mas a previsão metereológica era promissora, pelo que se tomou a decisão de ficar junto ao singular Canyon de Sigoldugjljufur, nas Terras Altas Islandesas, à espera da dança das Auroras Boreais. Até hoje nunca vi fotos das Auroras a dançar sobre este local sagrado, pelo que é com grande prazer que vos revelo uma das imagens feitas durante uma noite memorável.

Dados técnicos: Foi um grande desafio editar esta imagem. Publiquei uma versão anterior, mas não fiquei satisfeito com o cast fortemente azul da mesma, pelo que decidi re-editar. Infelizmente qualquer pequena alteração deste tipo de imagens pode provocar toneladas de ruído e artefactos. Para além disso, fotografei esta cena sem qualquer "ajuda" da lua, pelo que o canyon estava muitissimo escuro. Se não fosse a abertura de f2.8 e o ISO alto, teria sido impossível criar esta memória visual deste local tão especial.

Sony a7R + Laowa 12mm f2.8 | Abertura: f2.8 | ISO: 3200 | Exposição: 30 segundos | Foco Manual | Tripé e Ballhead FLM | Disparador remoto wireless
exif / informação técnica
Sem informações de EXIF
favorita de 59
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
Metamorfose
"Metamorfose" | Canyon de Sigoldugljufur, Terras-Altas - Islândia (2017)

A sensação em evolução de ser parte do mais remoto dos lugares, com o som de múltiplas quedas de água a envolver os sentidos e a enviar a consciência para o abismo da escuridão. Um lugar que há apenas duas horas era exemplo máximo da serenidade, está agora preenchido de mistério e sombras, e mesmo assim torna-se em algo ainda mais cativante.

O frio era intenso mas a previsão metereológica era promissora, pelo que se tomou a decisão de ficar junto ao singular Canyon de Sigoldugjljufur, nas Terras Altas Islandesas, à espera da dança das Auroras Boreais. Até hoje nunca vi fotos das Auroras a dançar sobre este local sagrado, pelo que é com grande prazer que vos revelo uma das imagens feitas durante uma noite memorável.

Dados técnicos: Foi um grande desafio editar esta imagem. Publiquei uma versão anterior, mas não fiquei satisfeito com o cast fortemente azul da mesma, pelo que decidi re-editar. Infelizmente qualquer pequena alteração deste tipo de imagens pode provocar toneladas de ruído e artefactos. Para além disso, fotografei esta cena sem qualquer "ajuda" da lua, pelo que o canyon estava muitissimo escuro. Se não fosse a abertura de f2.8 e o ISO alto, teria sido impossível criar esta memória visual deste local tão especial.

Sony a7R + Laowa 12mm f2.8 | Abertura: f2.8 | ISO: 3200 | Exposição: 30 segundos | Foco Manual | Tripé e Ballhead FLM | Disparador remoto wireless
Tag’s: islândia,canyon,sigoldugljufur,cascatas,aurora boreal,longa exposição,nocturna
comentários
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Sem informações de EXIF

favorita de (59)