foto user
Eduardo Wallenstein
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Outros/Senhor Santo Cristo dos Milagres II ... a Imagem
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Outros/Senhor Santo Cristo dos Milagres II ... a Imagem
voltar lista nav-leftnav-right

Senhor Santo Cristo dos Milagres II ... a Imagem

fotografias > 

Outros

2005-05-31 19:05:32
comentários (41) galardões descrição exif favorita de (8)
descrição
No Convento da Caloura, em Água de Pau, começa a história do culto do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em S. Miguel. Reza a tradição que foi neste lugar que se erigiu o primeiro Convento de Religiosas na Ilha.
Porque o lugar era ermo e muito exposto às incursões dos piratas, o pequeno Mosteiro ficou, certo dia, deserto, pois parte das religiosas seguiu para Santo André, de Vila Franca do Campo, e a outra parte se encaminhou para Ponta Delgada, para o Mosteiro da Esperança. Mas a Imagem do Senhor Santo Cristo não ficou esquecida, porque a religiosa galega Madre Inês de Santa Iria a quis trazer para Ponta Delgada.
No ano de 1700, a Ilha de S. Miguel foi abalada por fortes e repetidos tremores de terra. Duravam estes já vários dias quando a Mesa da Misericórdia e grande parte da nobreza da cidade, vendo que os terramotos não cessavam, resolveram ir à portaria do Mosteiro da Esperança para levarem em procissão a Imagem do Santo Cristo.
Ao princípio da tarde do dia 13 de Abril de 1700, juntaram-se as confrarias e comunidades religiosas. Concorreu igualmente toda a nobreza e inumerável multidão que, com viva fé, confiava se aplacaria a indignação divina com vista da santa Imagem.
Caminhava já a procissão em que todos iam descalços; e logo que a veneranda Imagem se deixou ver na portaria, foi tão grande a comoção em todos que a traduziram em lágrimas e suspiros, testemunhos irrefragáveis da contrição dos corações.
Desde aquela longínqua data até aos dias hoje a tradição mantém-se e todos os anos, esta belíssima imagem sai em procissão na cidade de Ponta Delgada.
É, hoje em dia, a maior procissão, a mais grandiosa e a de maior devoção que se realiza em terras portuguesas.
No coração de cada açoriano, disperso pelo mundo, há um altar de culto eterno ao Senhor Santo Cristo, onde as suas preces mantêm permanentemente acesas místicas velas de imperecível devoção e saudade.
exif / informação técnica
Maquina: Canon�
Modelo: Canon PowerShot A95�
Exposição: 1/4 sec
Abertura: f 4.5
MeteringMode: Multi-Segment
Flash: No Flash
Dist.Focal: 9.625 mm

favorita de 8
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
Senhor Santo Cristo dos Milagres II ... a Imagem
No Convento da Caloura, em Água de Pau, começa a história do culto do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em S. Miguel. Reza a tradição que foi neste lugar que se erigiu o primeiro Convento de Religiosas na Ilha.
Porque o lugar era ermo e muito exposto às incursões dos piratas, o pequeno Mosteiro ficou, certo dia, deserto, pois parte das religiosas seguiu para Santo André, de Vila Franca do Campo, e a outra parte se encaminhou para Ponta Delgada, para o Mosteiro da Esperança. Mas a Imagem do Senhor Santo Cristo não ficou esquecida, porque a religiosa galega Madre Inês de Santa Iria a quis trazer para Ponta Delgada.
No ano de 1700, a Ilha de S. Miguel foi abalada por fortes e repetidos tremores de terra. Duravam estes já vários dias quando a Mesa da Misericórdia e grande parte da nobreza da cidade, vendo que os terramotos não cessavam, resolveram ir à portaria do Mosteiro da Esperança para levarem em procissão a Imagem do Santo Cristo.
Ao princípio da tarde do dia 13 de Abril de 1700, juntaram-se as confrarias e comunidades religiosas. Concorreu igualmente toda a nobreza e inumerável multidão que, com viva fé, confiava se aplacaria a indignação divina com vista da santa Imagem.
Caminhava já a procissão em que todos iam descalços; e logo que a veneranda Imagem se deixou ver na portaria, foi tão grande a comoção em todos que a traduziram em lágrimas e suspiros, testemunhos irrefragáveis da contrição dos corações.
Desde aquela longínqua data até aos dias hoje a tradição mantém-se e todos os anos, esta belíssima imagem sai em procissão na cidade de Ponta Delgada.
É, hoje em dia, a maior procissão, a mais grandiosa e a de maior devoção que se realiza em terras portuguesas.
No coração de cada açoriano, disperso pelo mundo, há um altar de culto eterno ao Senhor Santo Cristo, onde as suas preces mantêm permanentemente acesas místicas velas de imperecível devoção e saudade.
comentários
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas

Maquina: Canon�
Modelo: Canon PowerShot A95�
Exposição: 1/4 sec
Abertura: f 4.5
MeteringMode: Multi-Segment
Flash: No Flash
Dist.Focal: 9.625 mm


favorita de (8)