foto user
Luis Filipe Correia
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
História/Ucanha
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
História/Ucanha
voltar lista nav-leftnav-right

Ucanha

fotografias > 

História

2018-01-12 14:01:08
Ver no mapa
comentários (37) galardões descrição exif favorita de (55)
descrição
Ucanha é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Tarouca, com 5,28 km² de área e 403 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 76,3 hab/km². É uma aldeia vinhateira do Douro.

Foi vila e sede de concelho até 1836, quando foi suprimido e anexado ao concelho de Mondim da Beira. O município era constituído pelas freguesias de Granja Nova, Salzedas, Ucanha e Vila Chã de Cangueiros e ocupava a zona nordeste do actual concelho de Tarouca. Tinha, em 1801, 2 217 habitantes. A freguesia foi integrada no actual município em 1898. Em 2013, no âmbito da reforma administrativa foi anexada à freguesia de Gouviães, criando-se a União de Freguesias de Gouviães e Ucanha.

Em Ucanha nasceu o célebre filólogo e etnólogo José Leite de Vasconcelos

A ponte fortificada constituia a entrada monumental no couto do Mosteiro de Salzedas. A torre servia de cobragem de portagem, defesa e armazenamento de produtos. A função militar era secundária, não existindo ameias no topo.

A sua existência já vem documentada no século XII. D. Afonso Henriques doou, em 1163, à viúva de Egas Moniz, Teresa Afonso, o couto de Algeriz, acrescentando-lhe o território de Ucanha.

A ponte deve ter sido construída pelos romanos, no seguimento de uma estrada que passava ali perto. A torre, com porta de acesso bem acima do nível do chão, tem vinte metros de altura e dez de cada lado da base, onde se encontra a seguinte inscrição "Esta obra mandou fazer D. Fernando, abade de Salzedas, em 1465".

A ponte une duas freguesias, Ucanha e Gouviães, e estende-se sobre o refrescante rio Varosa. Deduz-se que a povoação se tenha desenvolvido devido à obrigatoriedade da passagem da ponte. A torre terá sido elevada, a partir do momento em que o convento de Salzedas adquiriu os direitos de portagem da mesma.

Aqui passava a estrada, já desde a época romana, que de Lamego se dirigia para o interior, passando por Moimenta da Beira e Trancoso, podendo-se ainda hoje observar alguns troços de calçada bem conservados. Inevitavelmente, também aqui parte um caminho em direção ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

A Ponte Fortificada de Ucanha integra o projeto Vale do Varosa desde abril de 2014.

Monumento Nacional pelo Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910


Um conjunto de excepcional beleza, sob um pano de fundo colorido e verdejante.
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D3100
Exposição: 1/500 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/11
ISO: 400
Dist.Focal: 21mm
Dist.Focal (35mm): 31 mm
Software: Ver.1.01

favorita de 55
galardões
  • galardão popular
    foto
    popular
Ucanha
Ucanha é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Tarouca, com 5,28 km² de área e 403 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 76,3 hab/km². É uma aldeia vinhateira do Douro.

Foi vila e sede de concelho até 1836, quando foi suprimido e anexado ao concelho de Mondim da Beira. O município era constituído pelas freguesias de Granja Nova, Salzedas, Ucanha e Vila Chã de Cangueiros e ocupava a zona nordeste do actual concelho de Tarouca. Tinha, em 1801, 2 217 habitantes. A freguesia foi integrada no actual município em 1898. Em 2013, no âmbito da reforma administrativa foi anexada à freguesia de Gouviães, criando-se a União de Freguesias de Gouviães e Ucanha.

Em Ucanha nasceu o célebre filólogo e etnólogo José Leite de Vasconcelos

A ponte fortificada constituia a entrada monumental no couto do Mosteiro de Salzedas. A torre servia de cobragem de portagem, defesa e armazenamento de produtos. A função militar era secundária, não existindo ameias no topo.

A sua existência já vem documentada no século XII. D. Afonso Henriques doou, em 1163, à viúva de Egas Moniz, Teresa Afonso, o couto de Algeriz, acrescentando-lhe o território de Ucanha.

A ponte deve ter sido construída pelos romanos, no seguimento de uma estrada que passava ali perto. A torre, com porta de acesso bem acima do nível do chão, tem vinte metros de altura e dez de cada lado da base, onde se encontra a seguinte inscrição "Esta obra mandou fazer D. Fernando, abade de Salzedas, em 1465".

A ponte une duas freguesias, Ucanha e Gouviães, e estende-se sobre o refrescante rio Varosa. Deduz-se que a povoação se tenha desenvolvido devido à obrigatoriedade da passagem da ponte. A torre terá sido elevada, a partir do momento em que o convento de Salzedas adquiriu os direitos de portagem da mesma.

Aqui passava a estrada, já desde a época romana, que de Lamego se dirigia para o interior, passando por Moimenta da Beira e Trancoso, podendo-se ainda hoje observar alguns troços de calçada bem conservados. Inevitavelmente, também aqui parte um caminho em direção ao Mosteiro de Santa Maria de Salzedas.

A Ponte Fortificada de Ucanha integra o projeto Vale do Varosa desde abril de 2014.

Monumento Nacional pelo Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910


Um conjunto de excepcional beleza, sob um pano de fundo colorido e verdejante.
Tag’s: Ucanha,Ponte de Ucanha,Torre de Ucanha,Portugal
comentários
galardões
  • galardão popular
    foto
    popular

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D3100
Exposição: 1/500 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/11
ISO: 400
Dist.Focal: 21mm
Dist.Focal (35mm): 31 mm
Software: Ver.1.01