foto user
Henrique Alfonso Triviño
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
História/A Biblioteca Marciana
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
História/A Biblioteca Marciana
voltar lista nav-leftnav-right

A Biblioteca Marciana

fotografias > 

História

2008-05-23 22:24:47
comentários (82) galardões descrição exif favorita de (40)
descrição
A Biblioteca Marciana

Obra do arquiteto romano Jacopo Sansovino de 1537. Sansovino introduziu em Veneza um novo estilo romano desconhecido na cidade.
As obras já estavam bastante avançadas quando em dezembro de 1545 houve um desabamento de grande parte do edifício. Sansovino foi considerado culpado do desastre e foi preso por isso. Acabou por ser libertado pela grande influência que possuía. No entanto, teve que pagar do seu bolso todos os prejuízos causados e lhe foi permitido continuar a obra, que terminou em 1582.
Em seu pórtico abre-se também a entrada do Museu Arqueológico junto com a biblioteca.





"Magnífico!!! Lembro-me de ter ficado fascinado com a sala dos globos da biblioteca e com as bandeiras capturadas à frota turca no museu arqueológico... Excelente perspectiva, apanhaste ainda uma das colunas, a de São Teodósio, se não me engano. Se não me engano, era entre as duas colunas que se executavam os condenados, belíssimo local para morrer, ainda que seja preferível ficar com a cabeça bem coladinha ao pescoço... "Ver Veneza e morrer" nos teus belos registos transparece todo o melancólico sentimento desta máxima! Parabéns amigo Henrique, ficou linda! Abraço!"

Texto: João Matos

exif / informação técnica
Maquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D40
Exposição: 4/1000
Abertura: 8/1
ISO: 200
MeteringMode: 5
Flash: 16
Dist.Focal: 22/1

“Não vou tecer muitos comentários sobre a carga histórica associada ao monumento nem sobre os sentimentos, prazer e sensações que é andar em Veneza e conviver com todos estes lugares. Não o vou fazer porque ainda arrisco que o texto do meu comentário salte lá para cima e… Henrique pode parecer mal aos outros Olheiros que eu sempre um dos “escolhidos” pelo Mestre para comentar, eu diria sublinhar, as suas Obras! Para evitar isso vou só cingir-me ao aspecto técnico da foto embora a minha prática (assumida) seja a de contextualizar (quando possível) as fotos que vou publicando. Mas nesta vou conter-me! O Henrique contemplou o edifício segundo um ponto de vista que incluísse 2 alçados sendo que o alçado lateral foi abordado de modo a que a perspectiva fosse reforçada (deu volume e dimensão), pelo meio meteu a coluna (podia não o fazer) e a foto viu reforçada a sua expressão monumental! depois teve o cuidado de fotografar (ou cortá-lo) acima do plano em que circulam as pessoas (em Veneza não as incluir é tarefa impossível) desse modo o monumento ficou sozinho, a valer por si e pode ser-nos oferecido incólume com toda a sua carga Histórica! geriu muito bem o tempo de abertura v.s sensiblidade de modo que a exposição dos diferentes superfícies fosse homogénea quando editou foto e a converteu em p/b parece que se deram ao trabalho de limpar e polir o edifício só para o Triviño! Por último acabou a foto com o cinzento prata marca HT (Henrique Triviño) que dá o toque final monumental, para mim Épico, ao seu trabalho! A História agradece! Uma última palavra - ao recomendar o meu trabalho não pode ser estabelecida qualquer relação entre a qualidade do que vou fazendo e o que aqui é apresentado. Sinto-me longe de o merecer e só posso entender isso pelo carácter magnânimo do Mestre em dar uma oportunidade ao seu amigo. Obrigado Henrique pela sua referência e pela amizade!”

Texto: Carlos Lopes de Sousa



Não deixem de ver dois grande trabalhos:

"Porquê?" da amiga Cristina
http://www.olhares.com/ACristinaP

"Vem aí a água!" do amigo Carlos Lopes de Sousa
http://www.olhares.com/Hibero
favorita de 40
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
A Biblioteca Marciana
A Biblioteca Marciana

Obra do arquiteto romano Jacopo Sansovino de 1537. Sansovino introduziu em Veneza um novo estilo romano desconhecido na cidade.
As obras já estavam bastante avançadas quando em dezembro de 1545 houve um desabamento de grande parte do edifício. Sansovino foi considerado culpado do desastre e foi preso por isso. Acabou por ser libertado pela grande influência que possuía. No entanto, teve que pagar do seu bolso todos os prejuízos causados e lhe foi permitido continuar a obra, que terminou em 1582.
Em seu pórtico abre-se também a entrada do Museu Arqueológico junto com a biblioteca.





"Magnífico!!! Lembro-me de ter ficado fascinado com a sala dos globos da biblioteca e com as bandeiras capturadas à frota turca no museu arqueológico... Excelente perspectiva, apanhaste ainda uma das colunas, a de São Teodósio, se não me engano. Se não me engano, era entre as duas colunas que se executavam os condenados, belíssimo local para morrer, ainda que seja preferível ficar com a cabeça bem coladinha ao pescoço... "Ver Veneza e morrer" nos teus belos registos transparece todo o melancólico sentimento desta máxima! Parabéns amigo Henrique, ficou linda! Abraço!"

Texto: João Matos

comentários
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas

Maquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D40
Exposição: 4/1000
Abertura: 8/1
ISO: 200
MeteringMode: 5
Flash: 16
Dist.Focal: 22/1

“Não vou tecer muitos comentários sobre a carga histórica associada ao monumento nem sobre os sentimentos, prazer e sensações que é andar em Veneza e conviver com todos estes lugares. Não o vou fazer porque ainda arrisco que o texto do meu comentário salte lá para cima e… Henrique pode parecer mal aos outros Olheiros que eu sempre um dos “escolhidos” pelo Mestre para comentar, eu diria sublinhar, as suas Obras! Para evitar isso vou só cingir-me ao aspecto técnico da foto embora a minha prática (assumida) seja a de contextualizar (quando possível) as fotos que vou publicando. Mas nesta vou conter-me! O Henrique contemplou o edifício segundo um ponto de vista que incluísse 2 alçados sendo que o alçado lateral foi abordado de modo a que a perspectiva fosse reforçada (deu volume e dimensão), pelo meio meteu a coluna (podia não o fazer) e a foto viu reforçada a sua expressão monumental! depois teve o cuidado de fotografar (ou cortá-lo) acima do plano em que circulam as pessoas (em Veneza não as incluir é tarefa impossível) desse modo o monumento ficou sozinho, a valer por si e pode ser-nos oferecido incólume com toda a sua carga Histórica! geriu muito bem o tempo de abertura v.s sensiblidade de modo que a exposição dos diferentes superfícies fosse homogénea quando editou foto e a converteu em p/b parece que se deram ao trabalho de limpar e polir o edifício só para o Triviño! Por último acabou a foto com o cinzento prata marca HT (Henrique Triviño) que dá o toque final monumental, para mim Épico, ao seu trabalho! A História agradece! Uma última palavra - ao recomendar o meu trabalho não pode ser estabelecida qualquer relação entre a qualidade do que vou fazendo e o que aqui é apresentado. Sinto-me longe de o merecer e só posso entender isso pelo carácter magnânimo do Mestre em dar uma oportunidade ao seu amigo. Obrigado Henrique pela sua referência e pela amizade!”

Texto: Carlos Lopes de Sousa



Não deixem de ver dois grande trabalhos:

"Porquê?" da amiga Cristina
http://www.olhares.com/ACristinaP

"Vem aí a água!" do amigo Carlos Lopes de Sousa
http://www.olhares.com/Hibero

favorita de (40)