foto user
jorge pimenta
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/Amor triste
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/Amor triste
voltar lista nav-leftnav-right
descrição
Procura o beijo, o pólen sem gretas e o verso a escorrer carícias no corpo, mas o amor triste balança pétalas de primavera em cabos elétricos como se fossem recados escritos à pressa e amarrotados pelos dedos. Não desiste e jura um céu de espuma sobre a noite, onde as cerejas não perdessem a cor e as palavras nunca caíssem das mãos, mas o amor triste de novo hesita e fala da última estrela, do cigarro quase apagado e de todas as rimas que nunca foram escritas.
Percebe, por fim, que há uma só estrada em cada manhã, não sabe se faz frio, não sabe se chove, por isso levanta-se e segue na companhia da noite, mãos nos bolsos, o cabelo puxado para trás, vociferando impropérios a cada lugar imperfeito do poema. Afinal, algures entre o peito e a palavra, habita tudo aquilo que não esquecerá.
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/80 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/7.1
ISO: 200
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de 166
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão comentários
    125
    comentários
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
Amor triste
Procura o beijo, o pólen sem gretas e o verso a escorrer carícias no corpo, mas o amor triste balança pétalas de primavera em cabos elétricos como se fossem recados escritos à pressa e amarrotados pelos dedos. Não desiste e jura um céu de espuma sobre a noite, onde as cerejas não perdessem a cor e as palavras nunca caíssem das mãos, mas o amor triste de novo hesita e fala da última estrela, do cigarro quase apagado e de todas as rimas que nunca foram escritas.
Percebe, por fim, que há uma só estrada em cada manhã, não sabe se faz frio, não sabe se chove, por isso levanta-se e segue na companhia da noite, mãos nos bolsos, o cabelo puxado para trás, vociferando impropérios a cada lugar imperfeito do poema. Afinal, algures entre o peito e a palavra, habita tudo aquilo que não esquecerá.
Tag’s: street,B/W,arquitetura,luz e sombra
comentários
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
  • galardão comentários
    125
    comentários
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/80 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/7.1
ISO: 200
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)


favorita de (166)