foto user
Fernando Bagnola
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Moda/APRENDA A NÃO USAR O FLASH PORTÁTIL :)
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Moda/APRENDA A NÃO USAR O FLASH PORTÁTIL :)
voltar lista nav-leftnav-right

APRENDA A NÃO USAR O FLASH PORTÁTIL :)

fotografias > 

Moda

2015-03-26 20:03:00
comentários (35) galardões descrição exif favorita de (60)
descrição
Muitas vezes vocês me "ouvem" falar sobre a "tal" iluminação triangular feita com flashes portáteis ou strobes de estúdio.

Porém, a iluminação triangular pode ser construida mesmo sem nenhuma luz artificial desde que você consiga "sentir a Luz" e o trajeto de retorno (fill light) ao redor de uma modelo.

Venham sentir a Luz comigo:

1) O Sol vem do lado direito superior aproximado de 45º, toca na modelo criando uma linda luz de recorte entre o plano do fundo.

2) Reparem que do lado esquerdo do rosto há uma outra luz de recorte que nada mais é do que o retorno da Luz que reflete numa parede branca que divide a "nossa" varanda da varando do vizinho que serviu como um refletor branco desses portáteis.

3) A luz de preenchimento frontal veio de uma parede que estava à frente da modelo e é muito delicada porque transforma a luz dura do Sol deixando muito mais suave em função da parede refletir em todas as direções.
Pronto ... a iluminação triangular está configurada!
Porém, como havia a parede baixa atrás da modelo, a luz do Sol não era homogênea na parte debaixo do corpo criando dois problemas:

- diferença de EV (exposure value) da cintura para baixo.

- alteração da temperatura de cor da cintura para baixo porque esta parte do corpo estava numa zona com sombra mais acentuada (da cintura para cima mais próximo dos 5.200 K que é daylight e da cintura para baixo subindo para 6.500 K que são valores normais para as sombras ou dias nublados.

A solução foi usar um refletor dourado encostado à parede preenchendo com luz mais amarela que "mata" por adição complementar os cyans e torna todo o corpo e a lingerie com a mesma temperatura de cor.

Isso trouxe uma vantagem inesperada que foi criar Catch Lights (reflexos especulares nos olhos) dando mais vida ao olhar da nossa linda modelo.
Usei uma lente 100-300/4.5 5.6/Canon com a minha grande amiga EOS 20D porque queria um resultado mais suave na pele.

Fiz primeiramente a medição matricial no fundo (Zona 5) e optei por sobre-expor (Zona 8) para poder criar um fundo de recorte que emoldurasse o corpo da modelo.
Para criar o movimento nos cabelos, pedi para o maquiador André Silva usar o secador como ventoinha.

Sem flash, sem full frame, só com o Sol, duas paredes, um refletorzinho dourado e muita atenção à parte técnica que é o mais importante no sucesso de um trabalho profissional.
Gostaram?? Abraços!!!
exif / informação técnica
Máquina: Canon
Modelo: Canon EOS 20D
Exposição: 1/125 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/5
ISO: 100
Dist.Focal: 125mm
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop CC 2014 (Windows)

favorita de 60
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
APRENDA A NÃO USAR O FLASH PORTÁTIL :)
Muitas vezes vocês me "ouvem" falar sobre a "tal" iluminação triangular feita com flashes portáteis ou strobes de estúdio.

Porém, a iluminação triangular pode ser construida mesmo sem nenhuma luz artificial desde que você consiga "sentir a Luz" e o trajeto de retorno (fill light) ao redor de uma modelo.

Venham sentir a Luz comigo:

1) O Sol vem do lado direito superior aproximado de 45º, toca na modelo criando uma linda luz de recorte entre o plano do fundo.

2) Reparem que do lado esquerdo do rosto há uma outra luz de recorte que nada mais é do que o retorno da Luz que reflete numa parede branca que divide a "nossa" varanda da varando do vizinho que serviu como um refletor branco desses portáteis.

3) A luz de preenchimento frontal veio de uma parede que estava à frente da modelo e é muito delicada porque transforma a luz dura do Sol deixando muito mais suave em função da parede refletir em todas as direções.
Pronto ... a iluminação triangular está configurada!
Porém, como havia a parede baixa atrás da modelo, a luz do Sol não era homogênea na parte debaixo do corpo criando dois problemas:

- diferença de EV (exposure value) da cintura para baixo.

- alteração da temperatura de cor da cintura para baixo porque esta parte do corpo estava numa zona com sombra mais acentuada (da cintura para cima mais próximo dos 5.200 K que é daylight e da cintura para baixo subindo para 6.500 K que são valores normais para as sombras ou dias nublados.

A solução foi usar um refletor dourado encostado à parede preenchendo com luz mais amarela que "mata" por adição complementar os cyans e torna todo o corpo e a lingerie com a mesma temperatura de cor.

Isso trouxe uma vantagem inesperada que foi criar Catch Lights (reflexos especulares nos olhos) dando mais vida ao olhar da nossa linda modelo.
Usei uma lente 100-300/4.5 5.6/Canon com a minha grande amiga EOS 20D porque queria um resultado mais suave na pele.

Fiz primeiramente a medição matricial no fundo (Zona 5) e optei por sobre-expor (Zona 8) para poder criar um fundo de recorte que emoldurasse o corpo da modelo.
Para criar o movimento nos cabelos, pedi para o maquiador André Silva usar o secador como ventoinha.

Sem flash, sem full frame, só com o Sol, duas paredes, um refletorzinho dourado e muita atenção à parte técnica que é o mais importante no sucesso de um trabalho profissional.
Gostaram?? Abraços!!!
Tag’s: #bagnola,#flashportatil,#fotografia
comentários
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Máquina: Canon
Modelo: Canon EOS 20D
Exposição: 1/125 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/5
ISO: 100
Dist.Focal: 125mm
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop CC 2014 (Windows)


favorita de (60)