foto user
joãozero
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Outros/Cá em casa bebe-se até...
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Outros/Cá em casa bebe-se até...
voltar lista nav-leftnav-right

Cá em casa bebe-se até...

fotografias > 

Outros

2011-05-16 15:35:17
comentários (108) galardões descrição exif favorita de (28)
descrição
Haver luz para cambalear
Sem preocupações de a curar
Sou uma desilusão
Estou praticamente sem lar
Aquilo que resta nem quero pensar
Mais vale a solidão

Fazem-me facilmente jurar
Que vou eternamente pagar
Aqui que nem me dão
Só falta começarem a cobrar
O simples e essencial ar
Assim do pé para a mão

Bebo bebo bebo sem parar
Para me transportar
Para longe da Multidão
Pois enquanto estou a viajar
Sou mais eu nem preciso perguntar
Ganho logo mais satisfação

Claro que continuo sem ganhar
O suficiente para acabar
Com esta grande confusão
Preciso de continuar
Todos os dias a remar
Para ter o simples pão

No transporte até me dá para socar
Aqueles que me estão a sugar
Mesmo que em imaginação
Mas a alegria de falar
De conviver e respirar
Essa nunca mais me dão

Vejo luz vejo cores tudo a andar
Numa rapidez que não é de confiar
Não dá para por os pés no chão
A situação tem que abrandar
Não vá ter que chocar
E no final ser tudo em vão


Momento de reflexo numa montra da Cidade do Porto!

Entrou na GP!!
exif / informação técnica
Sem informações de EXIF
favorita de 28
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão popular
    foto
    popular
Cá em casa bebe-se até...
Haver luz para cambalear
Sem preocupações de a curar
Sou uma desilusão
Estou praticamente sem lar
Aquilo que resta nem quero pensar
Mais vale a solidão

Fazem-me facilmente jurar
Que vou eternamente pagar
Aqui que nem me dão
Só falta começarem a cobrar
O simples e essencial ar
Assim do pé para a mão

Bebo bebo bebo sem parar
Para me transportar
Para longe da Multidão
Pois enquanto estou a viajar
Sou mais eu nem preciso perguntar
Ganho logo mais satisfação

Claro que continuo sem ganhar
O suficiente para acabar
Com esta grande confusão
Preciso de continuar
Todos os dias a remar
Para ter o simples pão

No transporte até me dá para socar
Aqueles que me estão a sugar
Mesmo que em imaginação
Mas a alegria de falar
De conviver e respirar
Essa nunca mais me dão

Vejo luz vejo cores tudo a andar
Numa rapidez que não é de confiar
Não dá para por os pés no chão
A situação tem que abrandar
Não vá ter que chocar
E no final ser tudo em vão


Momento de reflexo numa montra da Cidade do Porto!

Entrou na GP!!
comentários
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão popular
    foto
    popular

Sem informações de EXIF

favorita de (28)