foto user
jorge pimenta
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/Linha feminina para quimeras e descaminhos (t. rep
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/Linha feminina para quimeras e descaminhos (t. rep
voltar lista nav-leftnav-right

Linha feminina para quimeras e descaminhos (t. rep

fotografias > 

Paisagem Urbana

2019-07-07 15:42:02
comentários (93) galardões descrição exif favorita de (124)
descrição
Chega clandestino o som que agita o dorso do homem cicatrizado pela noite, chega a meio termo, entre duas pétalas brancas que prometeu não voltar a colher. É a linguagem feminina da terra que se manifesta em notas subtis, veludo-rosa sobre o homem que fecha os olhos e volta a deitar-se com as amoras maduras que em tempos enrolou na boca até escorrerem resina pelo silvado da pele. E sonha, sonha marcas-d’água a trepar pelo ventre de mulher até ao deus cor de sépia, louco e nu, perdido entre a fotografia e o olvido. Se o vento soprar de leste, o homem voltará a ser nuvem naquelas mãos, mãos femininas a deslizar, sem urgência, para o interior da magnólia de um poeta: os lábios dentro do som e o homem a enumerar silêncios com que ela atava os cabelos e que quase o derrotaram. Mas o vento não soprou e o homem, cada
vez mais só, continua montado na quimera à espera de se tornar o que nunca foi. O homem.
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/80 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/9
ISO: 250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de 124
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
Linha feminina para quimeras e descaminhos (t. rep
Chega clandestino o som que agita o dorso do homem cicatrizado pela noite, chega a meio termo, entre duas pétalas brancas que prometeu não voltar a colher. É a linguagem feminina da terra que se manifesta em notas subtis, veludo-rosa sobre o homem que fecha os olhos e volta a deitar-se com as amoras maduras que em tempos enrolou na boca até escorrerem resina pelo silvado da pele. E sonha, sonha marcas-d’água a trepar pelo ventre de mulher até ao deus cor de sépia, louco e nu, perdido entre a fotografia e o olvido. Se o vento soprar de leste, o homem voltará a ser nuvem naquelas mãos, mãos femininas a deslizar, sem urgência, para o interior da magnólia de um poeta: os lábios dentro do som e o homem a enumerar silêncios com que ela atava os cabelos e que quase o derrotaram. Mas o vento não soprou e o homem, cada
vez mais só, continua montado na quimera à espera de se tornar o que nunca foi. O homem.
comentários
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/80 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/9
ISO: 250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)


favorita de (124)