foto user
Luis Filipe Correia
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
História/Moulay Driss Zerhoun, Marrocos
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
História/Moulay Driss Zerhoun, Marrocos
voltar lista nav-leftnav-right

Moulay Driss Zerhoun, Marrocos

fotografias > 

História

2019-10-22 18:24:03
Ver no mapa
comentários (22) galardões descrição exif favorita de (35)
descrição
Mulei Idris (em francês: Moulay Driss ou Moulay Idriss), também conhecida como Mulei Idris Zerune (em árabe: ????? ????? ?????; transl.: Moulay Driss Zerhoun ou Moulay Idriss Zerhoun), é uma pequena cidade e município do norte de Marrocos, que faz parte da prefeitura de Mequinez e da região de Mequinez-Tafilete. Em 2004 tinha 12 611 habitantes[ e estimava-se que em 2012 tivesse 12 633 habitantes.

É a cidade mais sagrada de Marrocos para os muçulmanos, por nela se encontrar o mausoléu do descendente direto do Profeta Maomé (era neto de Fátima, filha de Maomé), Mulei Idris (Idris I), o santo mais venerado de Marrocos, fundador da cidade em 1789 e da primeira dinastia árabe e muçulmana de Marrocos, a dinastia idríssida. É, por isso, o destino de peregrinação de muitos devotos — segundo a tradição, sete peregrinações a Mulei Idris equivalem a uma peregrinação a Meca. À semelhança de outras cidades sagradas marroquinas, esteve interdita aos não muçulmanos até 1917 e até aos primeiros anos do século XXI só os muçulmanos nela podiam pernoitar. Ainda hoje, algumas áreas da cidade nas imediações do mausoléu do santo estão interditas a não muçulmanos. Desde há várias gerações que a primeira visita oficial do rei de Marrocos após a sua coroação é a Mulei Idris.

Situa-se num local muito pitoresco, alcandorado nas encostas do Monte Zerune, em dois altos rochosos rodeados por três vales verdejantes e muito férteis, dominando a vasta planície do Saïs, 25 km a norte de Mequinez e 70 km a oeste de Fez. Do outro lado de um dos vales, a 4 quilómetros da cidade, encontram-se as ruínas de Volubilis, a cidade romana mais importante do que é hoje Marrocos.

Na cidade realiza-se o maior moussem (festa tradicional com origem religiosa) de Marrocos, que dura várias semanas a partir da última quinta-feira de agosto e atrai milhares de peregrinos, que instalam uma verdadeira cidade de tendas na encosta duma colina da cidade.

Apesar da entrada no mausoléu de Idris I lhes estar interdita e não existirem hotéis no interior da cidade (apesar de ser possível alugar quartos a particulares), esta atrai muitos turistas a não muçulmanos, pela beleza das paisagens, das ruas tradicionais e da atividade comercial. A cidade preservou como poucas a atmosfera das almedinas magrebinas. Uma das peculiaridades do lugar, ainda mais surpreendente por ser uma construção moderna (de 1939) num local tão tradicional e antigo, é o único minarete cilíndrico de Marrocos, revestido em azulejos verdes com arabescos. O mausoléu encontra-se no interior duma zauia e o seu aspeto atual resulta principalmente da reconstrução levada a cabo no século XVIII por Mulei Ismail. Durante o reinado de Haçane II (r. 1961–1999) foram feitos vários melhoramentos, nomeadamente a construção da Koubba Al-Hassania (cúpula sobre o mausoléu).[6]

Desde 1995 que a cidade é candidata a Património Mundial.
exif / informação técnica
Máquina:
Modelo:
Exposição:
Exposição (EV+/-):
Abertura:
ISO:
Dist.Focal:
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop Elements 5.0 Windows

favorita de 35
galardões
Esta foto não tem galardões
Moulay Driss Zerhoun, Marrocos
Mulei Idris (em francês: Moulay Driss ou Moulay Idriss), também conhecida como Mulei Idris Zerune (em árabe: ????? ????? ?????; transl.: Moulay Driss Zerhoun ou Moulay Idriss Zerhoun), é uma pequena cidade e município do norte de Marrocos, que faz parte da prefeitura de Mequinez e da região de Mequinez-Tafilete. Em 2004 tinha 12 611 habitantes[ e estimava-se que em 2012 tivesse 12 633 habitantes.

É a cidade mais sagrada de Marrocos para os muçulmanos, por nela se encontrar o mausoléu do descendente direto do Profeta Maomé (era neto de Fátima, filha de Maomé), Mulei Idris (Idris I), o santo mais venerado de Marrocos, fundador da cidade em 1789 e da primeira dinastia árabe e muçulmana de Marrocos, a dinastia idríssida. É, por isso, o destino de peregrinação de muitos devotos — segundo a tradição, sete peregrinações a Mulei Idris equivalem a uma peregrinação a Meca. À semelhança de outras cidades sagradas marroquinas, esteve interdita aos não muçulmanos até 1917 e até aos primeiros anos do século XXI só os muçulmanos nela podiam pernoitar. Ainda hoje, algumas áreas da cidade nas imediações do mausoléu do santo estão interditas a não muçulmanos. Desde há várias gerações que a primeira visita oficial do rei de Marrocos após a sua coroação é a Mulei Idris.

Situa-se num local muito pitoresco, alcandorado nas encostas do Monte Zerune, em dois altos rochosos rodeados por três vales verdejantes e muito férteis, dominando a vasta planície do Saïs, 25 km a norte de Mequinez e 70 km a oeste de Fez. Do outro lado de um dos vales, a 4 quilómetros da cidade, encontram-se as ruínas de Volubilis, a cidade romana mais importante do que é hoje Marrocos.

Na cidade realiza-se o maior moussem (festa tradicional com origem religiosa) de Marrocos, que dura várias semanas a partir da última quinta-feira de agosto e atrai milhares de peregrinos, que instalam uma verdadeira cidade de tendas na encosta duma colina da cidade.

Apesar da entrada no mausoléu de Idris I lhes estar interdita e não existirem hotéis no interior da cidade (apesar de ser possível alugar quartos a particulares), esta atrai muitos turistas a não muçulmanos, pela beleza das paisagens, das ruas tradicionais e da atividade comercial. A cidade preservou como poucas a atmosfera das almedinas magrebinas. Uma das peculiaridades do lugar, ainda mais surpreendente por ser uma construção moderna (de 1939) num local tão tradicional e antigo, é o único minarete cilíndrico de Marrocos, revestido em azulejos verdes com arabescos. O mausoléu encontra-se no interior duma zauia e o seu aspeto atual resulta principalmente da reconstrução levada a cabo no século XVIII por Mulei Ismail. Durante o reinado de Haçane II (r. 1961–1999) foram feitos vários melhoramentos, nomeadamente a construção da Koubba Al-Hassania (cúpula sobre o mausoléu).[6]

Desde 1995 que a cidade é candidata a Património Mundial.
Tag’s: Moulay Driss Zerhoun,Marrocos
comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Máquina:
Modelo:
Exposição:
Exposição (EV+/-):
Abertura:
ISO:
Dist.Focal:
Dist.Focal (35mm):
Software: Adobe Photoshop Elements 5.0 Windows