foto user
jorge pimenta
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Outros/Poema da existência para um encanto tardio
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Outros/Poema da existência para um encanto tardio
voltar lista nav-leftnav-right

Poema da existência para um encanto tardio

fotografias > 

Outros

2019-01-04 18:08:37
comentários (123) galardões descrição exif favorita de (155)
descrição
Passaste por mim de rompante maldizendo os que adivinham o tempo e sabem de que matéria se faz a espera. Foi apenas por um instante que te detiveste à minha porta, certamente por receares morrer aqui e rejeitares ter a vida já toda inscrita nas mãos.
Sim, eu sei, tu és gato em rua deserta não temente dos cães noturnos ou da luz bafienta sobre o granito. E assim passas, passas sem um aceno, um bilhete, uma nota, e quanto àquele número de telefone: extraviado nas azenhas do tempo mas ainda a consumir, lentamente, os mesteres do olhar.
Ao longe, a cidade que vibra e freme; aqui, o vazio nas esquinas onde lavámos os nomes e os incêndios agarrados aos corpos.
Deito-me. Levanto-me. Por vezes sangro mas esqueço; e hoje sei tão pouco de ti e ainda menos de mim.... o mais que adivinho já não cabe no poema.
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/3.2
ISO: 1250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de 155
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador
  • galardão curador
    curador
Poema da existência para um encanto tardio
Passaste por mim de rompante maldizendo os que adivinham o tempo e sabem de que matéria se faz a espera. Foi apenas por um instante que te detiveste à minha porta, certamente por receares morrer aqui e rejeitares ter a vida já toda inscrita nas mãos.
Sim, eu sei, tu és gato em rua deserta não temente dos cães noturnos ou da luz bafienta sobre o granito. E assim passas, passas sem um aceno, um bilhete, uma nota, e quanto àquele número de telefone: extraviado nas azenhas do tempo mas ainda a consumir, lentamente, os mesteres do olhar.
Ao longe, a cidade que vibra e freme; aqui, o vazio nas esquinas onde lavámos os nomes e os incêndios agarrados aos corpos.
Deito-me. Levanto-me. Por vezes sangro mas esqueço; e hoje sei tão pouco de ti e ainda menos de mim.... o mais que adivinho já não cabe no poema.
Tag’s: linhas curvas,monocromático,picado,arquitetura
comentários
galardões
  • galardão partilhas
    partilhas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
  • galardão curador
    curador

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/60 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/3.2
ISO: 1250
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)


favorita de (155)