foto user
Dolores Marques
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Gentes e Locais/Um dia certo em Dezembro
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Gentes e Locais/Um dia certo em Dezembro
voltar lista nav-leftnav-right

Um dia certo em Dezembro

fotografias > 

Gentes e Locais

2018-12-27 22:42:01
comentários (42) galardões descrição exif favorita de (50)
descrição
Estávamos, então, no ano de mil novecentos e cinquenta e sete. Foi num dia certo a vinte e sete de Dezembro. Rompia a noite, a abrir os espaços fechados. O vento rasgava as labaredas do fogo na lareira desta casa, onde nasci. Segundo sei, foi mesmo à lareira que nasci. "Cheguei com o fogo" A minha gratidão à Vida. Abraços a todos Vós.

Gosto de me saber perto e longe
da linha do tempo

Amo um verso do futuro
cujo tempo faz parte do meu imaginário

Um berço ainda vazio
Um corpo ainda sem alma
A alma ainda sem um corpo
e os lençóis de linho

A casa do fundo
O fogo sem norte
A lua no varandim
Um grito a nascente
A fria madrugada
O nevoeiro sem guarida,
à entrada

Sei que os passos são incertos
por caminhos desertos
Sei do infortúnio
Conheço o abominável
Sinto o miserável castigo
Conheço a fome que nos deu o nome

(Não desisto da militância, pelo teu corpo)

Cheguei com o fogo
e lembro de como me segurava
no tempo que me sobrava
tal como no tempo que me faltava

Sei do caminho percorrido
pela última estrela

Um trilho no céu
um dos filhos da noite
a nascer do fundo do breu

Mas sei também
de um horizonte sem corpo

Só pontas
e pontas
e pontas quebradas
na linha do tempo

dm (onix)
exif / informação técnica
Máquina: FUJIFILM
Modelo: FinePix S6500fd
Exposição: 1/90 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/2.8
ISO: 200
Dist.Focal: 6.2mm
Dist.Focal (35mm):
Software: PhotoScape

favorita de 50
galardões
Esta foto não tem galardões
Um dia certo em Dezembro
Estávamos, então, no ano de mil novecentos e cinquenta e sete. Foi num dia certo a vinte e sete de Dezembro. Rompia a noite, a abrir os espaços fechados. O vento rasgava as labaredas do fogo na lareira desta casa, onde nasci. Segundo sei, foi mesmo à lareira que nasci. "Cheguei com o fogo" A minha gratidão à Vida. Abraços a todos Vós.

Gosto de me saber perto e longe
da linha do tempo

Amo um verso do futuro
cujo tempo faz parte do meu imaginário

Um berço ainda vazio
Um corpo ainda sem alma
A alma ainda sem um corpo
e os lençóis de linho

A casa do fundo
O fogo sem norte
A lua no varandim
Um grito a nascente
A fria madrugada
O nevoeiro sem guarida,
à entrada

Sei que os passos são incertos
por caminhos desertos
Sei do infortúnio
Conheço o abominável
Sinto o miserável castigo
Conheço a fome que nos deu o nome

(Não desisto da militância, pelo teu corpo)

Cheguei com o fogo
e lembro de como me segurava
no tempo que me sobrava
tal como no tempo que me faltava

Sei do caminho percorrido
pela última estrela

Um trilho no céu
um dos filhos da noite
a nascer do fundo do breu

Mas sei também
de um horizonte sem corpo

Só pontas
e pontas
e pontas quebradas
na linha do tempo

dm (onix)
Tag’s: Um dia certo em Dezembro,aniversário,dolores marques,aldeia,serra do montemuro
comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Máquina: FUJIFILM
Modelo: FinePix S6500fd
Exposição: 1/90 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/2.8
ISO: 200
Dist.Focal: 6.2mm
Dist.Focal (35mm):
Software: PhotoScape


favorita de (50)